12° dia - 07/01/19 - (2° Parte)

12° dia - 07/01/19 - 2° Parte
Puerto Deseado (Passeio pela Ria Deseado) a Três Cerros
Quilometragem Parcial: 243 km
Quilometragem total acumulada: 4.302 km 
Na próxima parada desceríamos do barco para caminharmos em uma colônia de pinguins de Magalhães, nossos velhos conhecidos. Lá estavam eles com seus filhotes, cuidando de suas crias. Desta ilha rumamos para a tentativa de vermos as toninas, as menores espécies de golfinhos, e são lindos sendo pretos com uma faixa branca no meio do corpo. Tivemos sorte pois 4 apareceram e circularam a embarcação por um bom tempo. O Artur querendo imitar a guia, se coloca de forma a tentar acariciar alguma delas que passasse ao lado do barco. Para isso teria que curvar-se. O segurei para poder fazer este movimento, pois do contrário poderia cair na água. Porém tanto ele, quanto eu, esquecemos que seu óculos de sol estavam na gola da sua blusa. Quando vimos, um óculos começa a afundar, kkkkk. Sem pânico e alarde, fiz com que se conformasse. O óculos se foi para as profundezas, deixando seu dono de coração partido. O menino ficou chateado a princípio. Mas logo tratamos de fazer piada, dizendo a ele que amanhã um destes golfinhos apareceria de óculos escuros, se exibindo para os turistas do passeio do dia seguinte. Tudo apaziguado pois problema sem solução solucionado esta. O engraçado foi ver a cara da mãe dele, que não havia notado o ocorrido de tão discretos que fomos tanto eu como o Artur. Mas quando ele se virou, ela atenta que é logo viu que o óculos não mais estava com ele, fez uma cara de assustada a ponto de quase indagar onde estava. Quando olhou para mim e fiz com a cabeça um sinal positivo sem falar nada, mas dizendo: “sim, é isso mesmo, caiu na água”. Ela entendeu e também não amplificou o fato. Foi engraçado. Mais um fato para ficar na história das crianças, afinal também estas situações servem de marco para futuras lembranças. Concluímos este belíssimo passeio e já no MH tratamos de almoçar, para na sequência seguir viagem. O caminho ainda seria longo. Conseguimos, com o vento nos segurando muito, alcançar um local chamado Três Cerros, que nada mais é que um posto de gasolina da YPF, com hotel, restaurante e uma área de descanso para os viajantes. As pessoas que lá trabalham precisam também morar no complexo. Trabalham 24 dias consecutivos e folgam 6 consecutivos. Jantamos neste hotel onde as crianças cada vez mais interessadas nos animais, pinguins e paisagens locais, buscando nos postais da loja referências de animais que já havíamos visto e locais que havíamos visitado ou que quem sabe visitaríamos. O céu deste final de tarde estava carregado de um lado de nuvens escuras e pesadas e do outro lado, onde o sol se punha, com poucas nuvens, proporcionando um espetáculo incrível, uma imagem que somente aqui na Patagônia podemos presenciar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário