Patagônia - 11° Dia - 06/01/19

11º Dia - 06/01/19 - 1º Parte
Comodoro Rivadávia a Fitz Roy
Quilometragem parcial do trecho:153 km
Quilometragem total: 3919,2 km

Seguimos nossa viagem rumo ao Sul. Precisávamos abastecer pois o posto Petrobras que pernoitamos não estava aceitando “targeta” (cartão de crédito). Portanto deveríamos abastecer em Caleta Oliva a 90 km de Rivadávia. Ainda em Comodoro, já na sua saída, me chamou a atenção um grande pátio de demolição de carros destruídos (um ferro velho). Não sei porque estas imagens me atraem, hehehe. O fato é que o cenário parecia um filme pós apocalíptico ou aqueles filmes de zumbi tipo “Walking Dead”, e não resisti à vontade de parar e fotografar. A solidão ganha outro significado aqui na Patagônia e me pareceu sensacional esta imagem neste cenário. Mais adiante parei novamente para mostrar ao Artur as inúmeras grandes “bombas” de extração de petróleo, comum por estas bandas, pois comodoro Rivadávia tem sua pujança calcada principalmente na extração deste mineral. Por isso também é uma cidade muito cara. 

Deste ponto em diante, o caminho fica simplesmente fantástico, pois a rodovia encosta no oceano, e especialmente neste trecho as falésias e rochas da margem fazem o cenário de aproximadamente 60 km ser maravilhoso. Interessante observar o vento contra as ondas, fazendo suas cristas aspergir água para longe no sentido contrário a sua direção. Um espetáculo curioso. Chegamos finalmente a Caleta Oliva onde abastecemos e fizemos nosso desayuno. A Adelaide já estava possessa comigo pela distância e o tempo percorrido sem seu café da manhã, agravado pelo fato de eu ter parado em um ferro velho e em uma bomba de extração de petróleo para fotografar. Um pouco mais a Expedição perderia seu motorista. De Caleta seguimos rumo sul pela 03, e o vento já desde de cedo, fortíssimo. Estávamos indecisos sobre a possibilidade de visitar uma cidade chamada Puerto Deseado, distante 125 km da ruta 03 (se entrássemos, serião 250km). Antes do acesso a Puerto Deseado, paramos no posto YPF da cidade de Fitz Roy. Lá resolvemos almoçar no restaurante “El Greco” deste mesmo posto e decidir a respeito. Estava fechando o MH quando um brasileiro de Bicicleta me abordou. Estava já rodando a 4000 km e tinha por intenção percorrer toda a América. Seu nome era Guilherme Scarvansi e nos deixou belas mensagens. No almoço, decidimos visitar Deseado. Relatos e o guia nos instigavam. No entroncamento da Ruta 03 com a Ruta 281 que leva a Deseado existe um monumento a Facon Grande, um dos líderes campesinos desta revolta. Antes de 2008, quando nossas intenções de viagem ainda eram meros desejos, havia percorrido a Ruta 03 toda de forma virtual pelo Google Earth, sonhando em um dia percorre-la de forma real. Em determinado ponto desta minha “viagem virtual”, já tendo percorrido um grande trecho, um pontinho no meio do nada me chamou a atenção. Aproximei o zoom e me deparei com este monumento, neste entroncamento. Fiquei imaginando se algum dia chegaria até ali. Finalmente em 2008 partimos de moto a Ushuaia. Depois de alguns dias de viagens, de forma inesperada, surge este monumento. A visualização foi tão inesperada que passei do ponto, porém retornei e fiz questão de registar o momento, que para mim foi marcante. Hoje pela segunda vez no local, explico ao meu filho o significado histórico e o significado emocional particular deste ponto.
Para quem tiver curiosidade de ler sobre o encontro com “Facon Grande” em 2008, clica aqui.
E as respectivas fotos destes dias em 2008 por Trelew, Rivadavia e o referido monumento Facon Grande você confere aqui


































  

Nenhum comentário:

Postar um comentário