Patagônia - 9° dia - 04/01/19 (1° Parte)

9° dia - 04/01/19 - 1° Parte
Puerto Madry a Trelew
Quilometragem parcial do trecho: 65,1 km
Quilometragem Total: 3.198,3 km

Despertamos com o Transatlântico Cruzeiro atracando no Porto bem em frente à nossa “varanda”. Como sempre, tomamos as providências matinais de faxina e organização e seguimos viagem. Na saída de Puerto Madry, retrocedemos 3 km para abastecermos de combustível e água o MH em um posto YPF. Lá um trailer vendendo cerejas me interessou. Fui averiguar e constatamos ser de uma qualidade incrível e sem nada de químicos. O fruto vendido ali por uma cooperativa de produtores de Gaiman (Cooperativa de Productores Integrados de Cerezas Ltda), era tipo exportação e simplesmente divino. O produtor que estava lá atendendo, muito falante, nos explicou todo o processo. Compramos uma caixinha de 2,5 kg e creio que ele tenha simpatizado conosco, pois nos presenteou com mais meio quilo, que tratamos de comer no caminho. Incrivelmente ótimo. 

Chegando em Trelew uma novidade que não existia em 2017, quando ali possamos. A estátua de um Gigantossauro em tamanho real no portal de acesso a cidade. Muito bem feito e impressionante, especialmente por nos dar a dimensão do tamanho destes Titãs. Já na Galesa cidade de Trelew estacionamos no parking do super mercado “La Anônima”, rede importante da Argentina (temos feito nossas compras lá). As crianças resolveram que queriam novamente visitar o “Museo Palentológico Egidio Feruglio”, em nossa opinião um dos melhores que existem nas Américas. Réplicas perfeitas de fósseis destes gigantes que aqui viveram estão lá expostos (os originais estão guardados). Um museu moderno, bem equipado e com um acervo incrível e super instrutivo. Recomendamos a adultos e especialmente crianças. Vale a pena. Após a visita ao museu, a Adelaide e as crianças voltaram ao Yete, e eu fui atrás de uma curiosidade que a muito tempo desejava averiguar. Fui ao antigo hotel Gran Turing onde conta a história lá viveu por 3 meses o famoso bandoleiro americano Butch Cassady e seu parceiro Sundance Kid, ambos retratados no clássico filme de western, por Robert Redefort e Paul Newmann. Ambos viveram na Patagônia, compraram uma fazenda, criaram gado e voltaram a assaltar. Sua suposta morte na Bolívia, retratada no filme, é controversa. Há quem conte que viveram seus últimos dias na Irlanda. Além deste famoso hóspede, o hotel também contou em varias ocasiões com o aviador e escritor Antoine de Siant-Exüpery, autor e criador do personagem “O Pequeno Principe”, que a propósito, tem o cenário desta famosa história inspirado na Patagônia. Suas estadas por esta parte do planeta se davam em função de ser Exüpery, aviador da cia Postal (Correios aéreos). E suas escalas se davam em Trelew. Em suas memórias faz grandes elogios a qualidade do hotel. Também no jardim interno do antigo hotel circulam livres Tartarugas naturais da Patagônia. Uma outra página da história da Patagônia também teve palco em Trelew e o Hotel como coadjuvante. Trata-se da execução em 1972, pela ditadura Argentina de 16 jovens que se rebelavam contra o regime totalitário. O café do hotel era o local de suas reuniões e discursos. Encerrei este magnífico tour histórico, tomando um café no antigo café, circundado por rótulos antiquíssimos, das mais variadas bebidas. Um ambiente que merece apreciação com vagar, imaginando este tempos antigos desta parte tão incomum de nosso planeta.





























































Nenhum comentário:

Postar um comentário