Patagônia - 1º Dia - 27/12/18

PATAGÔNIA
1º Dia - 27/12/18
Trajeto = Rolante (BR) - Santa Margarida do Sul (BR)
Quilometragem Parcial= 396,2 km
Quilometragem Total= 396,2 km
Pernoite = Posto Ipiranga de Santa Margarida do Sul (BR290)

Hoje iniciamos a realização de mais um projeto de viagem. Partimos rumo a Patagônia, com a intenção de revisitar locais que conhecemos em nossa primeira viagem de moto em 2008, viagem que denominamos de "Álvaro e Adelaide no Fim do Mundo", quando percorremos praticamente toda a Ruta 03 no sentido Sul, até Ushuaia e após, no retorno, no sentido Norte, conhecendo diversos pontos fantásticos de nossa cordilheira, como Torres del Paine, Glaciar Perito Moreno e outros. Na parte da manhã deste dia de partida, de forma muito tranquila nos dedicamos aos últimos preparativos para a viagem. Pequenos detalhes que são procrastinados, o que nos fazem atrasar a saída. O planejamento e a execução de uma viagem como esta é um eterno aprendizado e apesar da nossa experiência já significativa, continuamos apreendendo e também falhando em alguns aspectos. Este que envolve os preparativos e arrumação para que cumpramos com o horário e data de saida é um deles, porém neste ano melhoramos sensivelmente. Um dos detalhes finais da manhã foi a afixação de um adesivo do Grupo de Proprietários de Motor Home F4000, um grupo de experientes viajantes, que muito tem agregado para o meu conhecimento. As duas portas da cabine, agora ostentariam esta honrosa participação neste grupo. Enfim partimos um pouco antes do meio dia e
a primeira parada de nossa viagem não foi mais do que 30 km distante de nossa casa, onde almoçamos no ótimo restaurante "DaColônia", no trevo de acesso à cidade de Santo Antônio da Patrulha, 5 km antes do acesso da Freway, ou BR 290. Após o ótimo almoço que todos da equipe curtem e de adquirirmos os lanches que acompanhariam boa parte de nossa viagem, como rapaduras, pé de moleques, balas de bananas, etc, seguimos viagem. A segunda parada se deu no posto BR de Eldorado do Sul, a cerca de 140 km de nossa casa, onde abastecemos o Yete, nome dado ao nosso novo Motor Home. Seguimos viagem, começando a cruzar o RS de Leste a Oeste pela BR 290, que
termina em Uruguaiana. A próxima parada ocorreu no Posto Laranjeiras em Caçapava do Sul, local com amplo estacionamento, um ótimo restaurante, preço justo e bom atendimento. Não por menos que o posto conta com um grande movimento de carros e principalmente caminhões. Há local para pernoite e boa arborização no estacionamento do complexo, fornecendo uma ótima área com sombra. Lá o Artur afixou o primeiro adesivo de nossa viagem. Lá também fizemos uma parada mais alongada nesta privilegiada área sombreada para o lanche das crianças que já estavam com muita fome. Seguimos com a intenção de chegar na cidade uruguaia de Rivera, mas concluímos que não seria possível, a não ser que rodássemos a noite, o que não queríamos, decisão que se mostrou acertada. Resolvemos pernoitar na pequena cidade de Santa Margarida do Sul, no único posto de combustível as margens da BR 290, um posto Ipiranga, cerca de 25 km antes de São Gabriel. O ritmo e a forma de viagem mudaram bastante com o novo Motor Home. Viagem com muito mais vagar e eu ainda estava me acostumando. Não passamos de 80 km/h em momento algum. Pelo aspecto da segurança de pilotagem, esta limitação era ótima, porém eu precisaria reformatar meu modelo mental, acostumado a um veículo ágil e rápido como nosso anterior Motor Home Bee, um furgão Renault Master. Também o consumo de combustível aumentou significativamente. Ganhamos com espaço e conforto, mas perdemos sob estes aspectos de versatilidade e economia. Não existe ainda o carro ideal, que reúna todos os predicados em um mesmo veículo. Você ganha por um lado, mas perde por outro, ou vice-versa. Neste final de dia aproveitei para testar os equipamentos fotográficos, como o Osmo, Câmaras fotográficas e a Go-Pro. Sendo horário de verão, foi possível ainda as crianças brincarem com a luminosidade do dia ainda presente, na mesinha armada ao lado do Bee, no pátio onde estacionamos. Carrinhos de ferro, mini super heróis, os escolhidos para acompanharem a viagem dos pequenos. O Calor permitia e convidava a ficarmos na rua. O Pôr do Sol foi um espetáculo colorido e lindíssimo. Em uma grande antena a alguns metros do Motor Home, Curicacas, estes pássaros lindos, negros no dorso, brancos na laterais, cinzas nas asas e costas e amarelados no pescoço, com bicos compridos e curvados em forma de foice, fazendo barulho com seus gritos, começavam a se empoleirar nos fornecendo mais um belo espetáculo neste fim de dia. A natureza e os locais nos brindam com belíssimos momentos, basta estar atento as maravilhas que nos cercam. Olhar curioso, sensível e atento, valoriza muito as pequenas e grandes manifestações do entorno, não importa o lugar. Basta abrir os olhos da alma. Nos recolhemos após o primeiro jantar de torradas (misto quente) e frutas, infelizmente sem vinho, situação que pretendia resolver no dia seguinte quando passaríamos nos free shop de Rivera. Amanhã seria outro dia, e tínhamos uma boa estrada para rodar.

























Nenhum comentário:

Postar um comentário